Topalov vence Bilbao 2008 com grande folga!

 

13.09.2008 – Veselin Topalov venceu seu jogo final contra Vassily Ivanchuk, assegurou o primeiro lugar por uma grande margem [4 pontos] e avançou ao #1 no não-oficial “Live Ratings” do mundo do xadrez. Teimour Radjabov venceu seu derradeiro [e foi a única vitória do jovem de 21 anos] desafio e com as pretas, contra o sempre perigoso Levon Aronian, o que assegurou o segundo lugar a Magnus Carlsen [de acordo com o sistema de Bilbao]. Anand foi — incrível! — o último colocado [fazendo-nos todos pensar se será adversário duro para o “senhor dos matches” Vld. Kramnik…].

 

 

 

No unofficial Live Ratings Veselin Topalov é agora o 1º do mundo, seguido de Alexander Morozevich, Magnus Carlsen e Vassily Ivanchuk. Vishy Anand caiu ao 5º lugar, sete pontos atrás do líder e onze adiante de Vladmir Kramnik, seguido [quinze pontos depois] de Levon Aronian.

E será o novo # 1 do mundo na lista oficial da FIDE [a ser publicada em 1º de outubro deste 2008]!

Já havia eu predito que este torneio poderia premiar os jogadores ousados [vez que a vitória equivalia a +3 e o empate a apenas +1] e o augúrio se mostrou verdadeiro, já que Topalov ficou em primeiro e Carlsen em segundo; quem foi cauteloso, voltou p’ra casa daí p’ra trás, longe do topo. Uma beleza…

Vejamos o repertório de aberturas/defesas utilizadas por “Vesco”, ao longo do torneio:

  • Round 1 — C45. De pretas, entrou por uma Ruy Lopez contra Radjabov, inovando totalmente no lance 8. …a5, nunca jogado no nível dos GMs. A partida terminou em empate.
  • R2 — D12. De brancas, entrou com um Gâmbito da Dama, contra Aronian, também inovando no início [lance 7] e forçando o oponente a perder dois tempos de abertura. Jogo empatado.
  • R3 — D58. Contra Carlsen, foi de Defesa Francesa, inovando muito no lance 14 e tomando muito tempo de Carlsen, que terminou por cometer um erro e perder o jogo.
  • R4 — E15. Contra Anand, optou pela Catalã, sacrificou um peão no lance 7 e adotou uma linha incomum, com o lance 11. Trouxe uma impressionante novidade no lance 12 seguinte e dominou Anand, fazendo-o resignar-se no lance 25!!! Impressionante vitória sobre o #1 e atual Campeão Mundial de Xadrez.
  • R5 — De pretas, contra Ivanchuk, adotou uma linha incomum da Defesa Nimzo-Indian, em que as damas são trocadas em f5, tornando tudo muito parecido com a defesa Muro de Berlin. O jogo findou-se empatado.
  • R6 — E74. De brancas, optou por 1.d4 Cf6 2.c4 g6 3.Cc3 Ag7 4.e4 d6 contra Radjabov, mas o que parecia uma Índia do Rei foi transposta numa Benoni [em que Topalov é grande especialista, em ambas as cores], com 5.Ag5 0-0 6.Ae2 c5 7.d5 a6 8.a4 h6 9.Ae3 e6 10.Cf3 exd5 11.cxd5. A posição era bastante promissora, mas uma imprecisão no lance 31 fez o jogo ficar igual e terminar em empate.
  • R7 — E36. De pretas, perdeu de Aronian com uma Nimzo-Indian.
  • R8 — B78. De brancas, venceu [novamente] a Magnus Carlsen, numa Siciliana/Dragão [com a variação que Carlsen quase sempre usa, contra GMs de alto nível: 12. …a6.
  • R9 — B18. De pretas, empatou com Anand servindo-se de uma tradicional Defesa Caro-Khan.
  • R10 — D46. Servindo-se do Gâmbito da Dama [contra a Defesa Semi-Eslava], derrotou Ivanchuk, no jogo que valia o primeiro lugar do torneio [embora os outros jogos também o pudessem valer, graças à pontuação de vitória ser +3], inovando a teoria no lance 12. Vencedor do Torneio!

Confira as partidas em pgn [veja-as em java, se tiver um leitor — se não o tiver, baixe-o gratuitamente em http://chessbase.com — de jogos]:

Bilbao é o torneio mais forte do mundo?… Não.

Amigos[as], está acontecendo o Super-Torneio de Bilbao, reunindo Anand, Carlsen, Topalov, Ivanchuk, Aronian e Radjabov, todos entre os 10 melhores do mundo [Anand é o 1º, Carlsen o 2º]. Por conta disso, anunciou-se que este seria o torneio mais forte de todos os tempos [e este blog reverberou o informe, com ênfase].

Contudo, não é bem assim: o torneio só é considerado Categoria 22 se for levado em conta o “Live Rating” [uma criação de alguns sites de xadrez, para dar a classificação dos jogadores de elite dia a dia], coisa que é totalmente extra-oficial!

Portanto, pelas regras normais, este torneio deve ser considerado Categoria 21 [não é pouco, diga-se].

Quanto aos mais fortes torneios de todos os tempos, destacamos dois:

  1. O 1938 AVRO tournament, em que oito dos jogadores world’s top estiveram presentes [o então campeão mundial Alexander Alekhine, os ex-campeões José Raúl Capablanca e Max Euwe, e os potenciais desafiantes Mikhail Botvinnik, Paul Keres, Reuben Fine, Samuel Reshevsky e Salo Flohr];
  2. E o super-torneio de Las Palmas, em 1996 [vencido por Kasparov], onde estiveram Garry Kasparov, V. Anand, V. Krannik, A. Karpov, V. Topalov e V. Ivanchuk! Impressionante.

Vejamos, amigos[as]: considerar Bilbao 2008 o mais forte torneio da história implica considerar Carlsen, Aronian e Radjabov mais fortes do que, por exemplo, Capablanca, Karpov, Kasparov e Kramnik! Ridículo, com todo o respeito que o gênio de Carlsen merece…

Abraços a todos[as].

Ah, em tempo: Carlsen lidera o Bilbao, com 11 pontos, seguido de Tolapov com 10. Esta é a pontuação no sistema de “vitória 3, empate 1”; no sistema clássico, Topalov lidera.

Published in: on setembro 9, 2008 at 12:30 pm  Deixe um comentário  
Tags: , , , , , ,

O maior torneio de todos os tempos?!

Amigos[as], vai começar [hoje, terça-feira] aquele que pode entrar para a história como o mais forte [e/ou o maior] torneio de xadrez profissional de todos os tempos! Isso mesmo: Topalov, Anand, Ivanchuk, Radjabov, Aronian e Carlsen vão disputar um “todos contra todos em turno e returno”, concorrendo à premiação de mais de U$5000.000,00 [quinhentos mil dólares], o maior prêmio já dado, num torneio que não seja por título mundial. O rating médio ficou em 2.775,6 ELO, o que resulta num Torneio Categoria XXII [Linares, por exemplo, chegou, no máximo, à Categoria XXI, mesmo com Kasparov presente!].

Vejam os informes originais em:

Bom aprendizado [pois este torneio será um dos melhores de todos os tempos, de fato], afinal, a vitória valerá 3 pontos, o empate 1 e a derrota 0!!!…

Há muito tempo que se comenta a inserção desta pontuação [vitória 3, derrota 0, empate 1] nas competições dos “mestres”; é a chamada Regra de Sophia [cidade da Bulgária onde se realiza o MTel Masters, um torneio dos mais fortes, também – e amplamente dominado por Topalov (mas que foi vencido por Ivanchuk, este ano). Fala-se que isto tornaria o xadrez mais interessante, impediria a “morte do xadrez pelos empates” [“doença” prevista por Capablanca (que chegou mesmo a sugerir a inserção de mais duas torres e o aumento do tabuleiro em duas colunas, para renovar a teoria enxadrística!)] e premiria os “lutadores aguerridos”, como Kasparov, Tal, Petrosian, Fischer, Tolapov, Carlsen, Ivanchuk, Anand, Aronian e outros, desestimulando os “empatões” [jogadores que nunca se arriscam – uma tristeza, diga-se…], como Kramnik, Gelfand etc.

Aproveitemos a lição.